Seu pet começou a se coçar e você suspeita que ele esteja com carrapatos? Conheça mais sobre esse parasita aqui neste post.

Mais um vampirinho no seu pet

Pulgas e carrapatos são conhecidas pragas que atacam animais, sejam cães, gatos, cavalos e até mesmo humanos. Esses pequenos artrópodes chamam a atenção por se alimentarem do sangue dos nossos pets, mas apesar de serem vagamente semelhantes, eles não são tão próximos assim: pulgas são insetos, enquanto os carrapatos são aracnídeos (sim, eles são parentes de aranhas e escorpiões).

A infestação de carrapatos em gatos é mais incomum do que em cães, mas pode acontecer também, portanto os tutores devem ficar atentos, especialmente se tiverem ambos os tipos de pets em casa e perceber que o cão está com carrapatos.

Mas um sanguessuga perigoso

Diferente das pulgas, a infestação por carrapatos pode trazer mais do que apenas o desconforto para seu pet. Isso porque eles podem transmitir doenças, algumas delas bem perigosas para seu cão ou gato, entre elas duas são conhecidas como doença do carrapato. A babesiose (causada por protozoário), erliquiose (causada por bactéria), conhecidas como doença do carrapato e a doença de Lyme estão entre o arsenal de males que esse parasita pode trazer ao seu pet.

Quais os tipos que podem aparecer no meu pet?

Comumente existem três tipos de carrapatos que atacam os pets: o carrapato marrom, o carrapato estrela e o carrapato vermelho dos cachorros. Esses bichos tendem a passar a maior parte do tempo em lugares altos, protegidos do sol e sem umidade, como cantos, rodapés e frestas, atacando o pet apenas para se alimentar, muitas vezes quando o pet está dormindo. Procure pelos ninhos dos carrapatos próximos ao local onde o pet dorme ou passa a maior parte do tempo.

O ciclo de vida dos carrapatos envolvem quatro estágios: ovo, larva, ninfa e adulto, sendo que apenas as duas últimas que encontraremos nos nossos pets. Esses bichos são bastante resistentes, podem passar meses sem se alimentar, apenas esperando para sair e encontrar uma oportunidade de sugar o sangue do seu pet.

Como encontrar os carrapatos?

Todo bom tutor de pet está sempre de olho no seu peludo e a presença de carrapatos gera sinais visíveis no comportamento e na pele do seu pet. Ainda que o carrapato não esteja presente no animal, a picada do parasita pode gerar infecções, áreas com deficiência de pelos, irritação e o pet pode se coçar bastante e até “reclamar” ao se coçar por sentir dor no local da picada. Durante os períodos de escovação dos pelos do seu pet, aproveite para buscar por sinais de pulgas e carrapatos.

Descobri que ele está com carrapatos, e agora?

Caso seu pet já esteja sob uma infestação desses bichos, é necessário tratar com carrapaticidas. Existem diversos modos de se livrar desse incômodo, seja com xampus, tabletes mastigáveis, injeções ou remédios para se aplicar na pele do animal, cada um desses métodos com rapidez e duração de efeito diferentes. Leve o animal ao veterinário para checar se não há infecção por nenhuma das doenças que o carrapato pode transmitir e para tratar de possíveis machucados na pele por conta das picadas.

Como prevenir é sempre melhor do que remediar, muitos desses métodos além de se matarem os parasitas que estão ativamente no seu pet, também previnem novos ataques por um bom tempo. Além dos métodos citados acima, existe também a coleira, que previne contra pulgas e carrapatos. Aliás, muitos dos métodos combatem simultaneamente pulgas e carrapatos.

Por fim, faça a dedetização da casa para se livrar dos possíveis ninhos que os carrapatos tenham feito. Procure especialmente em batentes de estrados de camas, atrás de quadros, batentes de portas e outras frestas onde eles possam se instalar.

Encontrei um desses pestinhas no meu pet!

Se encontrar algo no pet que suspeita ser um carrapato, remova-o com cuidado. Pegue uma pinça (existem inclusive pinças específicas para carrapatos), afaste bem os pelos da região e retire-o com firmeza, pois o carrapato estará bem fixado ao pet. Coloque-o em um recipiente com álcool. Tenha cuidado ao extrair carrapatos que estejam muito grandes, eles podem ser fêmeas cheias de ovos, e no processo ela pode estourar e espalhar centenas de ovos.

Evite também expor o seu pet ao contato com outros animais, assim você previne que ele espalhe a infestação desses parasitas.

Atenção é o melhor remédio

Toda vez que for passear com o pet em locais com vegetação mais alta ou que possuam alta incidência de bichos ele pode estar sujeito a voltar com carrapatos, portanto é sempre importante manter uma rotina de prevenção contra esses parasitas. Um tutor atento é a principal forma de manter o pet saudável e sem nenhum desses pequenos vampirinhos.

Comments

comments